Estresse na Atualidade

estreese

Estresse (stress, em inglês): estar sob pressão ou estar sob a ação de estímulo persistente.
Segundo a Física: estado de tensão sobre um material antes de se partir.

Aproximadamente entre 50 a 70% das consultas médicas estão direta ou indiretamente relacionadas ao Estresse.

A reação de estresse é uma reação normal e fisiológica do organismo e está relacionada com o instinto de sobrevivência conhecido como luta ou fuga, sendo que os fatores que desencadeiam o estresse podem ser positivos ou negativos: como uma promoção ou a demissão no trabalho.
O estresse provoca alterações hormonais e metabólicas e estas alterações favorecem o aparecimento de sintomas e doenças. Os sintomas do estresse dependerão do tipo de personalidade do individuo, ate porque o impacto das situações estressoras sobre as diferentes pessoas é muito variável: um assalto, por exemplo, pode desempenhar um grau de estresse diferente entre diferentes vítimas. Outra questão que merece atenção é o aspecto cumulativo dos estímulos estressores: nem sempre a reação de estresse que se vê no momento é decorrente do estressor atual, ou seja, pode se tratar de um efeito cumulativo de vários outros estressores anteriores. O organismo humano vai reagindo fisiologicamente na tentativa de adaptar-se às circunstâncias.
Ocorrerão problemas quando o estresse for muito intenso ou prolongado, pois o organismo não tem condições de relaxar e se recuperar do estresse que abre caminho para o aparecimento de doenças.
O reconhecimento precoce do estado de estresse previne o aparecimento de doenças e torna o tratamento mais fácil.

Sinais de reconhecimento precoce do estresse:
-Alterações comportamentais e de humor (choro fácil, irritabilidade, agressividade);
-Indecisão;
-Aumento de faltas ao trabalho por doenças;
-Dificuldade de concentração e diminuição do rendimento;
-Atrasos freqüentes e falta de pontualidade;
-Diminuição da autoconfiança;
-Problemas de relacionamento interpessoal;
-Abuso de álcool, fumo ou drogas.

Sintomas comuns do estresse:
-Ansiedade e ataque de pânico;
-Depressão;
-Palpitações e taquicardia;
-Hipertensão;
-Diminuição da imunidade, alergias e infecções de repetição;
-Ma digestão, azia, gazes;
-Tensão e dores musculares;
-Alterações do sono: insônia ou sono excessivo;
-Fadiga física e mental;
-Alterações metabólicas: diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia, obesidade.

Quando o estresse chega à fase de esgotamento surgem diversos e variados sintomas e sinais de alerta:

-Perda de concentração mental, esquecimento;
-Fadiga fácil, fraqueza, mal-estar, esgotamento físico, apatia, falta de motivação;
-Instabilidade, falta de controle, agressividade, tendência a discussões;
-Depressão, angústia;
-Palpitações cardíacas;
-Suores frios, tonturas, vertigens;
-Dores generalizadas;
-Queixas físicas sem constatação médica;
-Respiração alterada, ofegante e curta;
-Extremidades (mãos e pés) frias e suadas;
-Musculatura tensa e dolorida;
-Indigestão, gastrite, mudança de apetite;
-Dermatoses, alergias, queda de cabelo;
-Tiques nervosos;
-Isolamento, vontade de ficar sozinho, introspecção;
-Alterações do sono, insônia;
-Abuso de substâncias.

O tratamento do estresse inclui medidas relacionadas ao estilo de vida e em situações mais graves pode ser necessário o uso de medicamentos psicotrópicos e apoio psicológico.

Como medidas preventivas são indicadas:
-Atividade física regular;
-Ouvir música;
-Manter alimentação saudável: com ingestão de alimentos ricos em antioxidantes, consumo de peixes e cogumelos, ingestão de chá verde;
-Envolver-se em atividades prazerosas e saudáveis;
-Ter lazer;
-Desenvolver a flexibilidade para lidar com as mudanças do dia-dia;
-Evitar o fumo e o excesso de bebidas alcoólicas.

Terapia Cognitivo Comportamental (TCC):

A Psicoterapia Cognitivo Comportamental vai ajudar o indivíduo a identificar os fatores estressores que vem prejudicando as áreas de sua vida, e a partir de então, se estabelecem as metas cujos  objetivos são gerar alterações no estilo de vida do paciente, bem como mudanças de pensamentos (cognições) e comportamentos tido como nocivos.

Lembrete: Gostou do conteúdo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Cadastre-se também na opção “Seguir Terapia Cognitivo Comportamental” e receba os posts em seu e-mail!

Autoria e Contato:

Vivian Maria Denny Psicóloga Clinica – Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) – CRP 06/63504; vivian.psico@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s