Enurese Noturna

996828_616254628395798_1495113733_n

Enurese Noturna: Hábito involuntário de urinar durante o sono, mais conhecido como “fazer xixi na cama”.

Xixi na cama: só 10% têm causa emocional.

O famoso xixi na cama não está diretamente relacionado ao lado emocional da criança como a maioria das pessoas acredita: 90% dos casos são orgânicos e a maior parte deles tem razão hereditária.

Dois terços dos pais que já sofreram com o problema podem ter filhos com os sintomas da enurese noturna – que é a continuação involuntária do hábito da criança urinar na cama após a idade em que já deveria controlar o xixi.

O controle da urina durante o dia aparece mais precocemente. Geralmente, com cerca de dois anos de idade, a criança começa a notar a sensação de bexiga cheia e a chamar a atenção quando quer fazer xixi. A partir daí, as mães tendem a retirar a fralda diurna, mantendo a noturna por mais tempo.

Se, ao ultrapassar os cinco anos, a criança ainda não demonstrou controle da urina durante a noite, o ideal é procurar um pediatra. Na maioria das vezes, trata-se de um caso de enurese noturna primária.

Causas:

Grande parte dos casos de enurese noturna primária é genética. Geralmente se encontram vários casos anteriores ao da criança na família, como tios, avós, pais ou primos que tiveram o mesmo problema.

Algumas crianças sofrem com a falta de uma substância chamada vasopressina, que é fabricada pela hipófise para diminuir a produção de urina durante a noite. Com esse déficit, muitas produzem, à noite, a mesma quantidade de urina que produzem durante o dia.

Outra causa possível é uma imaturidade do sistema nervoso, que impede que o cérebro da criança receba o aviso enviado pela bexiga cheia durante a noite. Sem ser avisada, a criança deixa de acordar para ir ao banheiro e acaba encharcando os lençóis.

Os casos emocionais – apenas 10% – são chamados de enurese secundária porque, geralmente, acontecem depois de a criança já ter aprendido a controlar o xixi, normalmente por um trauma emocional.

Diagnóstico precoce:

O diagnóstico e o tratamento para o combate do xixi na cama devem ser iniciados o mais rapidamente possível – próximo dos cinco anos de idade – assim que a doença for diagnosticada.

Quanto antes o problema for tratado, menos chances a criança terá de sofrer com baixa autoestima, que acaba interferindo no seu comportamento emocional, ou seja, podendo torná-la tímida, retraída e sem confiança nas suas próprias capacidades.

Tratamentos:

Existem medicamentos para repor a vasopressina em tratamentos que duram cerca de um ano. O remédio só deve deixar de ser tomado quando a criança estiver com a cama “seca” há mais de seis meses.

Dependendo do caso, há medicamentos que relaxam a musculatura da bexiga e diminuem as contrações responsáveis por eliminar o xixi. Com menos contrações, diminui-se a probabilidade de liberar urina à noite. Alguns antidepressivos também têm uma ação específica sobre a musculatura da bexiga e também podem minimizar o problema.

Apesar de o diagnóstico ser simples – geralmente obtido em uma conversa entre os pais e o médico – cada caso deve ser tratado de maneira específica. Xixi na cama nunca mais!

Algumas dicas para diminuir as chances de a criança molhar os lençóis todas as noites:

• Procure fontes confiáveis e não perca tempo com tratamentos alternativos sem qualquer comprovação científica.

• Não compense a má alimentação da criança durante o dia com mamadeira ou copo de leite à noite, que aumenta o volume de líquido filtrado pelo rim.

• Se necessário, diminua a ingestão de sucos e sopas à noite.

• A suposta sede da criança antes de dormir pode ser evitada se ela se acostumar a tomar mais líquido durante o dia, de forma distribuída.

• Esvazie a bexiga da criança antes do sono.

• Retire a fralda para desacostumar a criança do “conforto” de urinar na cama.

• Evite levar a criança, durante o sono, para o banheiro. Além de interferir na tranquilidade do sono, dormindo a criança não vai aprender a desenvolver o reflexo de que deve acordar antes de fazer xixi na cama.

. A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) pode auxiliar nestes casos.

Curiosidades:

O problema é mais comum entre as crianças hiperativas. Um terço dos pacientes com enurese noturna apresenta a associação dos dois quadros: xixi na cama e hiperatividade.

Você sabia que 20% das crianças e adolescentes com enurese também apresentam enxaqueca?

Treinar a retenção urinária da criança pode ser uma boa maneira de acostumá-la ao controle do xixi.

O exercício pode ser feito da seguinte maneira:

Dar líquido (água ou suco) para a criança beber às 9 horas ou às 15 horas. Após 15 ou 20 minutos, ela terá vontade de urinar. Peça que ela segure a vontade por um ou dois minutos ou o quanto aguentar. Dessa forma, ela estará sendo hidratada no período certo (que não é antes de dormir) e fazendo exercícios para estimular a sensação de bexiga cheia, que nos leva naturalmente ao banheiro durante a noite.

Fonte:

-Dr. Abram Topczewski – Neurologista da Infância e Adolescência do Hospital Albert Einstein e co-autor do livro “Xixi na cama nunca mais!”.

 

Lembrete: Gostou do conteúdo? Compartilhe nas Redes Sociais!

Cadastre-se também na opção à sua direita “Seguir Terapia Cognitivo Comportamental” e receba os posts em seu e-mail!

Contato:

Vivian Maria Denny Psicóloga – Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) – CRP 06/63504; vivian.psico@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s